Como fazer uma boa salmoura para guardar conservas

Cenoura, brócolis, couve-flor, pimentão, cebola, rabanete, beterraba, pepino. Todos os vegetais que você gosta de saborear podem se transformar em deliciosas conservas para incrementar saladas, molhos, sanduíches, carnes e outras receitas condimentadas da temporada de frio que se aproxima. Por isso, o mês de abril é ideal para iniciar esse tipo de preparo que, além de incrível, é extremamente simples e fácil. A dica é usar os vegetais que estão na safra, a fim de aproveitar o caráter fresco do ingrediente, e preparar diversificadas conservas para consumir ao longo do inverno.

A salmoura da conserva é o mais importante de todo o processo. Sabendo as proporções e quais ingredientes colocar, você cria conservas com os mais variados vegetais, sempre usando a mesma fórmula-base. O sal é o ingrediente icônico desse processo, porque ele evita a propagação de bactérias indesejadas, mantém os vegetais crocantes, adiciona sabor e preserva as vitaminas presentes em cada vegetal. Portanto, a quantidade de sal a adicionar depende do gosto pessoal de cada um, mas a regra geral é de 3 colheres de sopa para cada ¼ de água ou 20g de sal para cada litro de água.

Existem duas maneiras tradicionais de adicionar o sal à fermentação: 1) adicionar o sal diretamente nos vegetais já cortados, o que liberará o suco dos vegetais (essencial ao processo de fermentação); ou 2) dissolver o sal em água e, depois, submergir os vegetais na salmoura.

O processo de fermentação mais clássico e natural leva apenas água e sal; porém, com o passar dos anos, vinagre e outros temperos e especiarias passaram a ser adicionados ao preparo. Se você optar por uma salmoura à base de vinagre, os mais utilizados são o branco e o de álcool. Use a proporção de 1 para 1 entre a água e o vinagre. As demais especiarias e temperos você escolhe conforme o gosto da sua família.

Deixe uma resposta